terça-feira, 31 de agosto de 2010

O desabafo de um Rouxinol

a
Estou tão, mas tão cansada de ficar longe de você...
Acho que uma overdose de você não seria suficiente, se antes as pequenas doses me ajudavam a continuar, hoje até a presença constante não seria suficiente.
Não se acostuma com a ausência, aprende a conviver com ela, e não é nada fácil é uma convivência que machuca...
Sabe porque?!
Porque tem muitas coisas acontecendo comigo e você nem sabe...
Não sabe do último filme que assisti e achei o melhor de todos os tempos.
Que agora eu gosto mais do Burger King do que do Cheddar mcmelt.
Que eu me pego durante várias vezes no dia cantarolando a música que você cantou... ( Quanto mais o tempo passa, mais eu gosto de você, esse seu jeito de me abraçar, esse seu jeito de olhar pra mim...)

Você não sabe de que me dei conta hoje, de quanta coisa em mim mudou, não sabe o quanto tenho estado
só sem o desespero enorme de me sentir sozinha.


Não escuto seus conselhos, não vejo seu sorriso e os dias vão arrastando...
Não importa, porque se o destino for generoso, quando completar 100 anos, eu te conto tudo nos mínimos detalhes.

Sei que o seu afastamento gradual tem seus porquês, já tive a ousadia de respondê-los, hoje talvez nem esteja mais atrás das respostas, mais deixo meu agradecimento, pela honestidade da sua omissão tão previsível que sempre confundi com meus presságios.
By Raquel

domingo, 29 de agosto de 2010

O caixeiro viajante

- Sabe...

- Diz...
- Hoje é um dia que é parte da minha vida...
- Tem dias que fazem parte da nossa vida e outros que são partes da nossa vida. Esse dia é uma parte da minha vida. (encara)

- Como assim?
- Vou sentir sua falta.

- Muita?
- Imensa! Não sabe o quanto...
- Sei o quanto...




- (olhando, do alto, a cidade) não... Não sabe...
- Tanto quanto o tamanho dessa cidade?
- Multiplica...
- Por quanto?
- (sorri) Por quanto você achar necessário para não conseguir imaginar o quanto.
- Boa! (se olham novamente) touche!
- E você?
- Eu o quê?
- Quanto gosta de mim?
- Gosto tanto que chega doer. Um gostar que dói enquanto vai nascendo e crescendo... Você
entende?

domingo, 22 de agosto de 2010

Quando ele sorri...

Quando ele sorri desarmado, limitado e impotente, para todas as minhas dúvidas, inconstâncias e chatices, eu sei que é daquele sorriso que minha alma precisava.

(Tati Bernardi)

http://amorprasempresera.blogspot.com/

No meio do caminho... Mas, presente.

"O que é concorrido eu entrego sem apego. Não me apetece a disputa; entre o que se conquista obstinadamente e o que se ganha em liberdade, eu não hesito: o que é livre sempre me prende.
(...)
As guerras, os duelos, os capeonatos são descartados por mim. Esses ficam para os que cobiçam troféus. Eu ainda desejo os verdadeiros presentes."



Goya - Volaverunt 1797/99

"Amar a poucos e amá-los de verdade vale mais do que o amor superficial devotado a muitos. No entanto, esse amor pressupõe deixar livre - só acredito no amor que cresce na liberdade; amo aquilo que livremente se solidifica.Conceda-me o absurdo de existir genuinamente dentro dos meus avessos, e provavelmente permanecerei. Serei perto... serei longe... no meio do caminho... Mas, presente.

Não me subtraia, nem me divida. Não me adicione, nem me multiplique. Não pertenço ao mundo clássico das coisas exatas. Onde existe inexatidão, ali, eu existo!" Susana Martins
 

terça-feira, 17 de agosto de 2010

"Um ponto importante:
ir, sobretudo em frente."  C.F
"O tipo mais perigoso que existe é o que diz: "só me arrependo do que não fiz". Ali, uma das duas coisas falhou: ou a memória ou o caráter"Fal Azevedo

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

É meu bem... Sou aquariana

Fui sagaz e ingênua.
Mas sabe de uma coisa? Sou aquariana.
É meu bem. Sou aquariana.

E descobri também o quão posso ser ridícula às vezes.

(...) E hoje, repetindo Bataille:
"Sinto-me livre para fracassar."
“Um milhão vezes zero é zero.
Ou seja: não coloque sua intensidade onde não tem nada.” [Tati Bernardi]


 
"Como sabem ser duros os caminhos, pelos quais a gente vai, só pensando na volta..."

sábado, 7 de agosto de 2010

Os CDs

Hoje tirei os CDs que você me deu da gaveta.... Não sinto tanto medo agora, nem dói tanto... Ah, dói sim, mais é saudadinha :)
Já sabe, né?! Mais faço questão de repetir... "SINTO SUA FALTA COMO SE ME FALTASSE UM DENTE NA FRENTE: EXCRUCITANTE!" By Raquel

 
"Ela lhe perguntou num daqueles dias se era
verdade, como diziam as canções, que o amor tudo podia.
-É verdade - respondeu ele - mas será melhor
não acreditares."
Quanto tempo demora? - perguntou ele.
- Não sei. Um pouco.
Sohrab deu de ombros e voltou a sorrir, desta vez era um sorriso mais largo.
- Não tem importância. Posso esperar. É que nem maçã ácida.
- Maçã ácida?
- Um dia, quando eu era bem pequenininho mesmo, trepei em uma árvore e comi uma daquelas maçãs verdes, ácidas.
Minha barriga inchou e ficou dura feito um tambor.
Doeu à beça. A mãe disse que, se eu tivesse esperado as maçãs amadurecrem, não teria ficado doente.
Agora, quando quero alguma coisa de verdade tento lembrar do que ela disse sobre as maçãs.


[O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini]

Deus não apenas perdoa, ele esquece. Apaga a Lousa. Destrói as provas. Queima o filme. Formata o computador. Ele não se lembra dos meus erro...