quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

 Deixei de me importar com a bagagem e passei a me preocupar com o percurso. Assim, não corro o risco de me perder mais uma vez.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"Amor acaba, João? Amor muda, Maria? Diz aí, amor de verdade cessa?

A gente tem mania de chamar qualquer coisa de amor. Fogo de palha, flerte, rolo e enrosco. Paquera, mimo, paixão. E quando não dá certo, quem paga o pato? O pobre do amor, que ainda nem entrou na história.


Minha resposta é a seguinte, benzinho: amor de verdade não se acovarda, não encolhe e não desiste. Desistiu? Não era amor. 

Acabou a marcha nupcial? Deixa tocar a balada fúnebre que escolhi para nós dois. Não importa quem enterra quem, a gente divide a coroa de flores."

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...