terça-feira, 5 de abril de 2016

Meu amor
O mundo está repleto de covardes
Que chegarão com flores e promessas vazias
Sedutores que não sabem o que significa cuidado
Cuidado!
Na verdade, eles são garotinhos assustados
Quando enxergarem o seu tamanho e profundidade eles se apequenam
Irão espernear e dizer que a culpa é sua
Irão desistir e você já viu isso acontecer muitas vezes
Mas a sua natureza é ser mar
Não se sinta mal por isso
Não é sua culpa
A imensidão não é para todos
É para quem tem coragem
Eles amam as poças de amor
Não se diminua
E quanto a mim
Quero meus dedos e minha alma enrugadas pelo tempo que irei ficar em ti.
P.S: Muitos já desistiram quando viram sua maré alta?

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Seu Jorge já cantarolava, uma melodia de Chico Buarque: "Todo dia ela faz tudo sempre igual/ me sacode às seis horas da manhã/ me sorri um sorriso pontual/ e me beija com a boca de hortelã". Ambos os amantes não pareciam incomodados com a rotina que o casal compartilhava, e a composição não deixa transparecer qualquer desconforto com o cotidiano previsível. Mas e se ela o acordasse um pouco antes para encher de beijos com gosto de... maçã? Se não sorrisse ao acordá-lo, mas o pegasse desprevenido com cócegas que o fizesse perder o ar de tanto rir? E se ele faltasse no trabalho, um dia que seja, para aproveitar o dia na companhia dela?
Viver metodicamente é não viver. Você por acaso sabe se existe vida após essa aqui? Melhor não desperdiçar. Hortelã pode ser bom, mas há uma infinidade de sabores por aí.

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...