quarta-feira, 30 de junho de 2010

Às três...

"Se tu vens às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz."
Antoine de Saint-Exupéry

segunda-feira, 28 de junho de 2010

"Depois, um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele.


Guardei a minha no bolso. E fui." C.F

'Então eu virei pra ela e falei assim: ah, nada, boba,

também é assim, se der, bem,

se não der, amém, toca pra frente.'
Adélia Prado

"Eu não tenho medo do amor.


Eu tenho medo é de amar quem tem medo dele.

Amar quem teme o amor é como se apaixonar por uma sucessão de desistências."

(Marla de Queiroz)

domingo, 27 de junho de 2010


Depois de cada momento de fraqueza, meu coração prepara, em silêncio, uma nova fornada de coragem.



Às vezes cansa, sim, mas combinamos não desistir da força que verdadeiramente nos move.


"Senhor, não permitais que eu julgue o modo de andar de meu próximo sem antes ter andado três dias com as sandálias dele."




(Pensamento atribuído aos

índios americanos Sioux)
"O tempo é que mostra o que realmente valeu a pena, o tempo nos ensina a esperar, o tempo apaga o efêmero e acaba com a dúvida." C.F

". . . e eu concluo que, de alguma forma, nossa ligação mental? espiritual? psicológica? continua sempre muito forte."


terça-feira, 22 de junho de 2010


Amanheci em cólera. Não, não, o mundo não me agrada. A maioria das pessoas estão mortas e não sabem, ou estão vivas com charlatanismo. E o amor, em vez de dar, exige. E quem gosta de nós quer que sejamos alguma coisa de que eles precisam. Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece..."
                                                                   

...


"Os outros eu conheci por ocioso acaso. A ti vim encontrar porque era preciso." Guimarães Rosa








"E eu não tive tempo de dizer que quando a gente precisa que alguém fique a gente constrói qualquer coisa, até um castelo." C.F
"Eu não quero que você seja eu.
Eu já tenho a mim.
O que quero é que você chegue com
seu poder de chegar e de me
devolver pra mim.
Que você chegue com seu dom de também
me fazer chegar perto de mim.
Para me fazer ver o que sou
e que só você viu.
Para eu ser capaz de amar também
o que só você amou.
Eu não quero que você seja
igual a mim.
Eu já tenho a mim.
Não quero construir uma casa de espelhos
que multiplique minha imagem
por todos os cantos.
Quero apenas que você me reflita
melhor do que julgo ser".

sexta-feira, 18 de junho de 2010

"E eu sei o quanto vai ser cansativo correr da dor, o quanto vai ser falso eu ignorar ela aqui no meu peito.
Mas vou correr até a minha última esquina... 

Cansei de morrer na vida das pessoas!!!" C.L

terça-feira, 15 de junho de 2010

“As pessoas falam coisas, e por trás do que falam há o que sentem, e por trás do que sentem há o que são e nem sempre se mostram...”



Perdoar

O perdão.
Se eu pudesse escolher um verbo hoje, eu escolheria perdoar. Assim, conjugado na primeira pessoa, com objeto direto e ponto final: eu me perdôo. Não, eu não te perdôo porque não tenho porque te perdoar. Tenho que perdoar a mim. A mim, que me ferrei. Me iludi. Me fodi. Me refiz. Me encantei. A culpa é minha. Minhas e das minhas expectativas. Minha e das minhas lamentáveis escolhas. Minha e do meu coração lerdo. Minha e da minha imaginação pra lá de maluca. Então, com sua licença, deixe eu e minha culpa em paz. Eu e meu delicioso perdão por mim mesma. Eu só te peço uma coisa. Pare de culpar a vida. Pare de ter pena de você. Se assuma. Se aceite. Se culpe. Se estrepe. Se mate. Mas se perdoe. Pelo amor de Deus, se perdoe.
(Somos todos culpados, se quisermos. Somos todos felizes, se deixarmos.)
Fernanda Mello.

O pedido

"Sempre acreditei que toda vez que a gente
entra numa igreja pela primeira vez,
vê uma estrela cadente ou
amarra no pulso uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim,
pode fazer um pedido. Ou três.
Sempre faço. Quando são três, em geral, esqueço dois.
Um nunca esqueci. Um sempre pedi: Um amor." C.F

Se você me encontrar...

Se você me encontrar assim
Meio distante
Torcendo cacho
Roendo a mão
É que eu tô pensando
Num lugar melhor
Ou eu tô amando
E isso é bem pior,
Se você me encontrar
Rodando pela casa
[...]
Roendo a mão
É que eu não tô sonhando
Eu tenho um plano
Que eu não sei achar
Se você me encontrar
Num bar, desatinada
Falando alto coisas cruéis
E que eu tô querendo
Um cantinho ali
[...]

Mas se eu tiver nos olhos
Uma luz bonita
Fica comigo
E me faz feliz
É que eu tô sozinho
Há tanto tempo
Que eu me esqueci
O que é verdade
E o que é mentira em volta de mim....

Cazuza

Não estou me contradizendo, alguns post abaixo diz que a porta está aberta, esse de hoje diz que as porta está fechada. Agora eu pergunto, como deixar sempre a porta aberta se as vezes o vento insiste em derrubar TUDO? By Raquel

Deus conserve amém!

A porta está fechada, não adianta bater. E foi tão bom constatar que não me atinge mais.

Não me entristece, não me aborrece, não me tira o sono. Passa por mim. Mas, não me atravessa. Foi-se o tempo.

E foi-se o tempo faz tempo."

 DEUSCONSEVERAMÉM

Brisa Mulatinho

terça-feira, 8 de junho de 2010

"Em vez de tentar escapar de

certas lembranças,o melhor

é mergulhar nelas e voltar

à tona com menos

desespero e mais sabedoria."

Martha Medeiros

sábado, 5 de junho de 2010

Simples assim...


"Deus, põe teu olho amoroso sobre todos que já tiveram um amor, e de alguma forma insana esperam a volta dele: que os telefones toquem, que as cartas finalmente cheguem..." C.F


"— Alguma coisa já não estava mais lá. A alma? Pode ser." C. F


A comédia da vida real


Estou com uma nostalgia hoje, que minha nossa... Parece que tem hora que perco o senso da realidade.
Consigo escrever muito nesses momentos e depois que termino o texto começo a ver as coisas de um modo diferente, como se as letras me dessem conselhos. Estranho isso, né?! Mais partindo da teoria que ninguém é normal, está tudo perfeito.
Vou deixar registrado aqui uma história sobre minha primeira paixonite colegial, porque ela me fez aprender algumas lições, e não se iludam, porque nem todas as lições que aprendo são colocadas em prática, e não é por negligência, é porque as vezes realmente não consigo.
Mas voltando a história da paixonite, na sétima série do colegial inventei uma paixão platônica, que naquele tempo eu chamava de amor, por um menino uns quatro anos mais velho e sofria muito, porque apesar dele ser muito educado comigo, a chance de um romance era praticamente zero, pra não dizer -10, sofri uns quatro anos por essa pessoa que inventei; inventei sim, porque para ser amor, teria que ter uma convivência com o tal moço, e nossa conversa quando durava muito eram dez minutos. Mas como essa sempre foi minha especialidade inventar paixões, criar pessoas que não existem e me apaixonar por elas, lá estava eu, sofrendo e amando um ser que tinha inventado... Hoje é engraçado mais na época era bem triste, porque eu ficava ligada a minha criação e no meu mundo ela era perfeita e essa ilusão não acabava nunca e frustrava meus possíveis relacionamentos que tinham seus problemas. O tal moço mudou, uns dez anos se passaram, durante esse tempo, consegui localiza-lo em Fortaleza e depois no Rio de Janeiro, trocamos msn, orkut, mais nada aconteceu. Há mais ou menos umas duas semanas atrás o telefone toca, e era a Fabrícia uma amiga que eu adoooooooro, me chamando pra ir para um barzinho, quando chego lá, já dá até pra imaginar quem estava na mesa, era ele mesmo em carne e osso, mais osso do que carne rsrs... (que ele não leia isso). Esse pessoal que estava na mesa era tudo de Iporá, a cidade onde a tal paixão começou, conversamos muito, hoje ele é meu amigo, e acho engraçado quando lembro daquele tempinho, onde perdia a fome quando ele me ligava, a ansiedade que eu ficava quando ele ia visitar os pais dele, porque teria chance de vê-lo, o sofrimento quando ele ia embora; acreditem, nunca aconteceu nem um selinho. Oh descontrole! Isso tudo para contar o que aprendi nesse dia, ele veio me deixou em casa, e conversamos um pouquinho e eu comecei a pensar, minha nossa não tenho nada a ver com esse moço, nada mesmo, idéias diferentes, gostos totalmente diferentes, sintonia para possível romance zero, eu admiro muito a sinceridade dele e forma como ele trata as pessoas, com lealdade e honestidade, e apesar de serem qualidades admiravéis, não seriam suficiente para a paixão que eu tinha inventado ela era muito mais "enfeitada". As pessoas mudam os gostos, os conceitos, as prioridades, coisas que antigamente eram tão importantes, hoje quase nem são lembradas, pessoas que hoje fazem seu coração disparar amanhã talvez não lhe façam nem levantar a cabeça. Naquela noite eu consegui ficar mais tranquila, e entender que realmente o tempo coloca tudo no seu devido lugar e  entrei em casa rindo da situação, que antes era tão pavorosa e agora parecia mais uma comédia.
Tem pessoas que tem uma grande resistência a mudanças, eu já tenho medo que as coisas nunca mudem...Mesmo que todo dia tenha que se inventar uma nova maneira de viver, que tenha que se adaptar novamente as mudanças que a vida e as pessoas exigem...Viver ainda é a coisa mais mágica que existe! By Raquel

sexta-feira, 4 de junho de 2010


“A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela: é preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau.”
Em alguns momentos, eu o decepcionarei, em outros você me frustrará, mas, se tivermos coragem para reconhecer nossos erros, habilidade para sonharmos juntos e capacidade para chorarmos e recomeçarmos tudo de novo tantas vezes quantas forem necessárias, então nosso amor será imortal. Cury

quinta-feira, 3 de junho de 2010

"No fim destes dias encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro.(...)  você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem." C.F

"Não deixe portas entreabertas
Escancare-as
Ou bata-as de vez.
Pelos vãos, brechas e fendas
Passam apenas semiventos,
Meias verdades
E muita insensatez."

"Existe aqui uma mulher

Uma bruxa, uma princesa, uma diva, que beleza

Escolha o que quiser

Mas ande logo, vá depressa

Nem se atreva a pensar muito

O meu universo ainda despreza

Quem não sabe o que quer" Ana Cañas

terça-feira, 1 de junho de 2010

Desordem Disfórica

O que me fez vibrar sempre foram as surpresas, o inesperado, o imprevisível...Imagino "mais ou menos" como será o meu dia amanhã, mais isso não me deixa em estado de êxtase, o fato de não saber o que irá acontecer amanhã é o que faz acordar, respirar e etc...O meu lado racional chega a tirar sarro do emocional quando as surpresas aparecem, porque o emocional não espera é muito imediatista. Mas o  pior de tudo é que  na TPM o lado racional decreta ponto facultativo, então... é preciso redobrar a atenção porque as emoções ficam a mil e ainda temos que ouvir do sexo masculino que somos confusas, nervosas, impacientes e etc...Quem consegue ficar normal com tantos hormônios conflitantes atrapalhando nosso sistema nervoso...Para evitar maiores confusões fique em estado de alerta, oh época que se faz "besteiras"... Besteiras sim, ficamos muito emotivas, agimos por impulso, pensamos poucos, choramos por qualquer coisinha, coisas que nos demais dias do mês resolveríamos com dois minutos de conversa, nesse período é motivo para choro, e extremismos. Os hormônios não dão uma idéia que preste. Não é desânimo, não é tristeza, não é saudade, não é amor, não é paixão, não é carência, não é perseguição, muito menos depressão... é só tpm, ou Desordem Disfórica P-M. O mundo parece que vai acabar e o lado racional parece que está de greve e depois de uma semana tudo volta ao normal e continuo aguardando as surpresas, que nesse período pareciam tão distantes... By Raquel