sexta-feira, 2 de outubro de 2015

"Aplaudam, meus amigos, a comédia acabou,"


O fim de um romance é algo que transita entre a tragédia e a comédia. Barão de Itararé não me deixa mentir quando sugere aos desiludidos que procurem numa próxima padaria os seus sonhos perdidos. A frase de Ludwig Beethoven, que diz: "Aplaudam, meus amigos, a comédia acabou," bem poderia encaixar-se no contexto dos relacionamentos amorosos. Porém, Cazuza confirma essa teoria, consta na sua afirmativa de que o amor é o ridículo da vida. E se ao estarmos apaixonados até a raiz dos pelos menos visíveis, nos assumimos como bregas, é inevitável que ao término de um relacionamento nos tornemos ridículos. Pessoa dizia: todas as cartas de amor são ridículas, muito antes do pop rock ser um gênero musical, já sabíamos que são naturalmente ridículas. Pois, afinal, a graça que está presente no drama do término de um romance, reside na arte de saber rir da sua própria desgraça, sempre confiante de que os sonhos podem ser bem mais saborosos em outra padaria.
Só porque eu tenho certeza que esse fim de semana vai ser incrível!!! Emoticon heart

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deus não apenas perdoa, ele esquece. Apaga a Lousa. Destrói as provas. Queima o filme. Formata o computador. Ele não se lembra dos meus erro...