terça-feira, 6 de agosto de 2013

O que estou fazendo aqui?

O que estou fazendo ainda aqui? Pode me perguntar.
Isso não é um texto, sou eu.

Vou esperar sua resposta.

Não mando sms, não telefono, não apareço, mas não desisto.

Aguardo seu movimento em minha direção.

Estou no lugar que você me conheceu: nas palavras, nas letras.

Estou no lugar que você me enxergará com mais facilidade, para não gerar desencontro.

Não me arrisco a sair daqui e perder você vindo. Vindo. Vindo.

Esta é a minha solidão.

A solidão veste a falta.

A vida se intensifica com os intervalos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...