sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

E daí eu pego minhas coisas, enfio baixo braço, saio andando sem olhar pra trás, não é que eu queira ser grossa, fria, calculista, mas aprendi que quanto menos você se deixa tocar mais difícil será de se cortar novamente, tenho tantas cicatrizes, sei que uma a mais nem seria tão notada pelos outros, mas meu coração anda cansando de acreditar, mas sei que ainda ei de me cortar um dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...