sexta-feira, 12 de julho de 2013

Docinho!

Amor pra mim é ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal; como ele mesmo. Isso deve ser o mais pleno amor: Dar a liberdade dele existir ao meu lado do jeito que ele é.

Um comentário:

Deus não apenas perdoa, ele esquece. Apaga a Lousa. Destrói as provas. Queima o filme. Formata o computador. Ele não se lembra dos meus erro...