terça-feira, 24 de julho de 2012

A ordem da troca é importante. Até você me ver eu não existo. É como se, ao me ver, você me fizesse existir. Uma pessoa é uma pessoa por causa de outras pessoas. Se você cresce com essa perspectiva, sua identidade baseia-se no fato de que você é visto – que as pessoas em sua volta lhe respeitam e reconhecem como pessoa. ”- eu lhe vejo! ”Esta expressão tem o sentido de integração e reconhecimento, é como se falasse, eu te reconheço como você é e te aceito assim.

Um comentário:

  1. Ao invés de dizer: “eu te amo” deveríamos dizer “eu vejo você”. Reconhecer o “outro” e dar a ele o direito de ser “diferente” é a essência dos tempos atuais. Quem ama, re/conhece, vê o outro na sua singularidade, ao invés de querer transformá-lo no idêntico.

    ResponderExcluir

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...