quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

“Tem sempre aquela dorzinha aguda no peito, aquela saudadezinha filha da mãe gritando no ouvido a falta que ele faz.”

Um comentário:

  1. Oi, Raquel, bom dia!!
    O bom, o doce, o lindo da história é quando essa dorzinha e essa filha da mãe dessa saudade atormentam o outro também!
    Um beijo carinhoso
    Doces sonhos
    Leo

    ResponderExcluir

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...