sexta-feira, 4 de março de 2011

Mesmo assim...



"Mesmo assim eu não esquecia dele. Em parte porque seria impossível esquecê-lo, em parte também, principalmente, porque não desejava isso. É verdade, eu o amava. Não com esse amor de carne, de querer tocá-lo e possuí-lo e saber coisas de dentro dele. Era um amor diferente, quase assim feito uma segurança de sabê-lo sempre ali."

2 comentários:

  1. Se esqueceu agora?
    Ou desistiu, ou alguém foi morar aí no seu coração, despejando o antigo inquilino...

    ResponderExcluir
  2. ...quase assim feito uma segurança de sabê-lo sempre ali...'
    adoooooro esse blog!!
    mesmooo!
    =*

    ResponderExcluir

Dores que transformam

Bom, em setembro de 2016 foi último post, e tanta coisa aconteceu de lá pra cá e elas estarão presente nas entrelinhas dos meus próximos pos...