quinta-feira, 15 de julho de 2010

O Rouxinol e a Rosa

"Um rouxinol vivia no jardim de uma casa.
Todas as manhãs, uma janela se abria e um jovem comia seu pão, enquanto olhava a beleza do jardim.
Sempre caiam farelos de pão no parapeito da janela.
O rouxinol comia os farelos, acreditando que o jovem os deixava de propósito para ele.

Assim, criou um grande afeto por aquele que se preocupava em alimentá-lo, ainda que com migalhas. Um dia, o jovem se apaixonou..." http://www.meu.cantinho.nom.br/mensagens/rouxinol_e_a_rosa.asp

A história continua, e o moral dela é: Cada um dá o que tem no coração, e cada um recebe com o coração que tem.

Essa história marcou quase três anos da minha vida, se tiver netinhos um dia, antes de coloca-los pra dormir a história vai ser essa... Qualquer semelhança dessa história com a minha não é coincidência, é a mais pura verdade.

O rouxinol não amava o menino pelas migalhas, ele amava porque acreditava ser importante, não era o desprezo lhe atraía, mais o cuidado que ele imaginava que o menino sentia por ele. E ele não precisava de mais nada, apenas disso.

Mesmo que você ame ou se apaixone, nunca saberá se seu amor vai ser ou não recebido. Um amigo me disse uma vez que: mesmo com o coração partido, vale a pena amar. Porque o amor faz só o bem pra quem ama... (penso nisso até hoje). Nunca gostei de migalhas e se um dia as aceitei, foi porque tive a ilusão que era banquetes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deus não apenas perdoa, ele esquece. Apaga a Lousa. Destrói as provas. Queima o filme. Formata o computador. Ele não se lembra dos meus erro...